Projeto Ave Missões: Pesquisa, Educação Ambiental e Conservação com Aves da Região Noroeste do Rio Grande do Sul

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Passarinhando de sol a sol em São Miguel das Missões...

Nascer do sol em São Miguel. Foto: D. Meller.
* por Dante Andres Meller
Numa passarinhada o melhor sempre é começar com o sol nascente...

Por volta do meio-dia, o sol quente aquieta a passarada, mas 'dá asas' aos gaviões... É preciso olhar para o céu!

O sol poente cansado, por fim, se despede com as vivências do hoje realizadas e com a esperança de um novo amanhã...

Para a saída mensal de agosto o grupo Ave Missões escolheu visitar São Miguel das Missões. A atividade teve 12 participantes e contou com a organização da Atairu Aventura, do amigo e biólogo Alfieri Callegaro. Ano passado já havíamos realizado essa saída e encontrado algumas espécies interessantes. Dessa vez, além de programarmos visitar o Mato do Piratini e a Fazenda da Laje, decidimos arriscar um novo local logo na chegada ao município.

Com um conjunto de matas que totaliza em cerca de 600 ha a Mata do São Lourenço poderia render alguma surpresa interessante. Por mais rápida que tenha sido a passarinhada no local, já que tínhamos que seguir até os destinos previstos, a parada foi estratégica e rendeu...

Cabeçudo (Leptopogon amaurocephalus). Foto: D. Meller.

Logo na chegada à Mata do São Lourenço um araçari-castanho vocalizou e em seguida, bem à nossa frente, cruzou a estrada que corta o fragmento. Todos puderam vê-lo, mas sem chances de foto. Havia começado a passarinhada!

Depois de observar algumas espécies mais comuns, como o cabeçudo, o surucuá-variado e o beija-flor-dourado, repentinamente um gritador começou a vocalizar e a partir daí não tivemos sossego (no bom sentido). Um bando misto, capitaneado pelos assobios do gritador, 'fluía' na copa de algumas árvores, pra onde quer que olhássemos tinha passarinho...

Gritador (Syristes sibilator). Foto: D. Meller.

Foi um momento especial, já que pudemos observar espécies relativamente raras, como a saíra-de-chapéu-preto, a figuinha-de-rabo-castanho, o próprio gritador e ainda um provável bico-reto-azul, mas que não pode ser confirmado.

A seguir um piolhinho-verdoso vocalizou e conseguimos atraí-lo para fazer algumas fotos...

Piolhinho-verdoso (Phyllomyias virescens). Foto: D. Meller.

Os ânimos se agitaram mesmo com a aparição de um casal de balança-rabo-leitoso, uma espécie bastante rara, com poucas localidades de ocorrência na região.

Balança-rabo-leitoso (Polioptila lactea). Foto: D. Meller.

Houve ainda a suspeita de termos ouvido o tamborilar de um pica-pau-rei, mas não se confirmou... Era hora de seguir até a Mata do Piratini, um fragmento florestal de mesmo porte do anterior, com a vantagem de situar-se à margens do Rio Piratini.

Rio Piratini visto da ponte entre São Miguel das Missões e Bossoroca. Foto: D. Meller.

Já ventava bastante nessa hora e começava a esquentar, e logo na chegada ao Mato do Piratini os rapinantes já estavam voando...

Gavião-do-banhado (Circus buffoni) sobrevoando a borda do mato. Foto: D. Meller.

Pouco antes de entrar na trilha avistamos muito ao longe um possível gavião-de-cabeça-cinza, que infelizmente não pode ser confirmado pela distância.

Seguimos por dentro do mato para tentarmos ouvir ou visualizar alguma coisa. A trilha é bastante longa e no fim das contas encontramos poucas aves, com destaque para o pica-pau-anão-de-coleira, que foi ouvido, e o tangará que foi fotografado pelo amigo Pedro Sessegolo, após se embrenhar mato a dentro para conseguir o registro...

Tangará (Chiroxiphia caudata) macho. Foto: Pedro Sessegolo.

Tangará (Chiroxiphia caudata) macho jovem. Foto: Pedro Sessegolo.

Era meio-dia e hora de se dirigir à Fazenda da Laje. Por sinal, a acolhida nesta fazenda merece destaque, com almoço campeiro de agradar qualquer um. Após um breve descanso nas redes algumas tiribas vieram nos convidar a continuar a passarinhada...

Tiriba-de-testa-vermelha (Pyrrhura frontalis). Foto: D. Meller.

Depois do descanso fomos então 'camperiar' pela fazenda, em busca de mais alguns registros. A Fazenda da Laje é basicamente uma área com campos extensos por onde cruzam riachos com matas ciliares preservadas. A paisagem é de encher os olhos...

Campos e capões de mata na Fazenda da Laje. Foto: Rudson Setschuk.

Grupo Ave Missões em riacho na Fazenda da Laje. Foto: Alfieri Callegaro.

Ainda estava bem quente, e optamos por caminhar nas matas ciliares dos riachos. À beira do rio Santa Bárbara encontramos algumas espécies menos comuns...

Azulão (Cyanoloxia brissonii) fêmea. Foto: D. Meller.

Arapaçu-grande (Dendrocolaptes platyrostris). Foto: D. Meller.

Martim-pescador-verde (Chloroceryle amazona). Foto: Alfieri Callegaro.

O sol já ia começando a baixar, e resolvemos caminhar pelo campo. Onde avistamos duas seriemas, e um canário do campo.

Canário-do-campo (Emberizoides herbicola). Foto: Pedro Sessegolo.

No fim da passarinha ainda tive a impressão de ter visto um curriqueiro, mas a ave voou e não consegui localizá-la mais. Enquanto ainda procurava o pássaro um carrapateiro se juntou a mim e ficou circulando a área por alguns momentos, rendendo umas fotos legais.

Jovem carrapateiro (Milvago chimachima). Foto: D. Meller.

Dia cheio... cerca de 90 espécies observadas... registros importantes... outros a confirmar... vivências legais... hora de descansar.

Pôr do sol em São Miguel das Missões. Foto: D. Meller.

---------------------------------------------------------------------------------
Veja também:

---------------------------------------------------------------------------------

10 comentários:

  1. excelente Dante, o gritador é importante registro! abraços!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom Dante. Aquele mato do São Lourenço é um belo lugar para ser mais explorado. Naquele bando misto também tinha Saira de papo preto e Saíra Viúva, tenho estes registros mas de pouca qualidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aham... e guaracava-cinzenta, lmebrei depois também. Vale a pena sim visitar com mais calma esse mato... Grande abraço Pedro!

      Excluir
  3. Um forte abraço em todos que participaram deste dia de observações de aves pelos campos e mata missioneira... Sem contar o delicioso almoço com borrego assado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A gente que agradece tua parceria na organização da saída a campo Alfieri! Forte abraço!

      Excluir
  4. Beleza de passeio!
    Rafael Ritter

    ResponderExcluir
  5. Lindas fotos e ótimos registros , parabéns !

    Ass.:Lucas N de Porto Alegre - RS

    ResponderExcluir