Projeto Ave Missões: Pesquisa, Educação Ambiental e Conservação com Aves da Região Noroeste do Rio Grande do Sul

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Um dia em busca de aves na Guarita

*por Dante Andres Meller
No último sábado fomos fazer uma visita ao amigo Cláudio Furini, nos arredores da Terra Indígena do Guarita.

Havíamos combinado uma passarinhada pelas matas da reserva...

Saímos do Parque do Turvo na primeira hora da manhã, com o sol nascente já anunciando o belo dia que teríamos pela frente...

A Terra Indígena do Guarita é um dos últimos grandes blocos florestais localizados na região noroeste do RS. Com pouco mais de 23 mil hectares, dos quais cerca de 15 mil são de florestas, a paisagem é muito semelhante àquela encontrada no Parque Estadual do Turvo, distante apenas 18 km.

Por outro lado estudos ainda são escassos na Guarita e certamente muita coisa ainda está por ser descoberta lá. Em relação às aves, alguns achados importantes têm sido feitos no local. Muitas espécies raras na região, que sabíamos ocorrer  no Turvo, estão também sendo encontradas na Guarita. É o caso de alguns gaviões, como o gavião-de-cabeça-cinza, encontrado neste dia na Guarita e no dia seguinte também no Turvo.

Gavião-de-cabeça-cinza (Leptodon cayanensis) nos arredores do Salto do Yucumã. Foto: D. Meller.

O anfitrião de nossa visita na Guarita, Cláudio Furini, é quem tem compartilhado amplamente os achados no WikiAves. Várias descobertas importantes ele já fez por lá, como a trovoada-de-bertoni, que até então somente no Turvo era conhecida no RS. Nosso objetivo nessa visita era justamente esse, estar com os ouvidos e olhos atentos para quando alguma raridade aparecesse. Entre outros registros mais comuns, podemos dizer que o dia foi produtivo...

Cais-cais (Euphonia chalybea) visitando os pomares no sítio da Guarita. Foto: D. Meller.

Beija-flor-de-papo-branco (Leucochloris albicollis) no sítio da Guarita. Foto: D. Meller.

O registro mais importante do dia, e digamos que até esperado, foi visual apenas, quando uma jacupemba (Penelope superciliaris) apareceu no começo de uma das trilhas na Guarita. A espécie foi tão esquiva que sequer conseguimos fotografá-la, no entanto foram observadas características diagnósticas que a diferenciam do seu congênere mais comum no RS, o jacuaçu. Depois de redescoberta no Turvo ano passado, sua ocorrência já era esperada na Guarita e esse certamente foi o achado mais importante do dia. Agora fica a missão para o Cláudio fotografá-la algum dia...

Ao longo das duas trilhas que fizemos ouvimos várias espécies, nem sempre com sucesso em vê-las e muito menos fotografá-las, mas conseguimos alguns bons resultados, como o negrinho-do-mato e dois arapaçus pouco comuns.

Fêmea do negrinho-do-mato (Amaurospiza moesta). Foto: D. Meller.

Arapaçu-de-bico-torto (Campylorhamphus falcularius). Foto: D. Meller.

Arapaçu-rajado (Xyphorhynchus fuscus). Foto: D. Meller.

Foi um dia muito produtivo, e agradecemos imensamente pela sempre amigável acolhida do Cláudio Furini, sua esposa e casal de amigos. Também ficamos com a evidente sensação da importância conservacionista que esta área tem no noroeste do RS, e temos o dever de alertar pela sua preservação. Ao contrário do que dizem, que por haver impactos de caça e remoção de madeira a área estaria totalmente degradada, nós observamos que a Guarita possui ainda muitos animais em suas matas. Concentrar esforços na preservação dessa área é muito importante...

Para finalizar, ao chegar no Parque do Turvo, de quebra olha só quem eu encontrei já no crepúsculo quando eu ia me acolhendo em casa. Por essa nem o Cláudio, o Maiquel e o Maicon esperavam, senão tinham ido comigo para o Turvo, eu acho...

Gavião-de-penacho (Spizaetus ornatus) num fim de tarde no Turvo. Foto: D. Meller.

---------------------------------------------------------------------------------
Veja também:

---------------------------------------------------------------------------------

8 comentários:

  1. Que dia hein. Parabéns a todos que viveram essa experiência!

    ResponderExcluir
  2. Pra quem anda na terra dos bandeirantes... ... deu saudades dos pagos do sul !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Paulo!!! Mas você está bem por aí tbm... não se esquece de trazer uns registros novos pra nós!!! Abraço!

      Excluir
  3. Muito legal, fiquei lendo e babando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hehehe... Valeu pela presença aqui Luiz Álvaro!!! Abraço

      Excluir
  4. Parabéns ao Grupo Ave Missões pelos belos registros !Gostei muito das fotos do Leucochloris albicollis e do Leptodon cayanensis ! ASS:Lucas N

    ResponderExcluir